segunda-feira, 20 de abril de 2009

a alma flutua

a alma é sublime e danço congo
para a poesia que flui como pluma
depois a sopro – tudo espuma
eu sonho longo

a alma é serena e embargo
tristezas brindando alegrias
afogando mágoas que povoam meus dias
eu sonho largo

a alma é nobre e mordo
versos, reversos com fome voraz
degustando todos de forma loquaz
eu sonho gordo

a alma é bela e se expande
esse mundo – a quem pode atrair?
sei que serei nada quando partir
eu sonho grande

0 comentários:

Postar um comentário