quarta-feira, 15 de abril de 2009

quando a manha chegar

na boca da noite negrinha
quando tudo estiver calmo
quietude na estância
mansidão – aquietados ventos cortantes
breu – apagados pingos de vela
trazendo a luz
direi: psiu...

direi: psiu...
às estrelas, aos sacis
aos baios das gravuras
te cobrirei
com lençol de beijos
suavemente o pastoreio
depois do sonho
nas nuvens navegando
psiu...

0 comentários:

Postar um comentário