quinta-feira, 23 de abril de 2009

última página

olhos carmim
tão tristes, sérios
não entendo seus mistérios
por que chovem assim?

chuva no meu rosto
aperto no coração magoado
choro não chorado
testemunham meu desgosto

ando farta de amargura
tristeza – nada me resta
senão a dor, que me molesta
talvez de minha desventura

minha mão já ferida
tem súbito desejo agora
de virar a página, sem demora
a página de minha vida

0 comentários:

Postar um comentário