sexta-feira, 1 de maio de 2009

ela não desiste

para, brisa
de me pedir
poema

poema tem que nascer
devagarinho
não às pressas
mas com carinho

para, brisa
de me pedir
poema

poema não é raio cortante
que nasce
num instante
logo desaparece

ele vem de mansinho
suave sopro no rosto
pássaro voltando ao ninho
você nunca esquece
o poema permanece
num beijo, brisa

para, brisa

0 comentários:

Postar um comentário